Sexta-feira, 1 de Outubro de 2010
publicado por JN em 1/10/10
www.record.xl.pt

A entrevista de Costinha ao Jornal do Sporting, que esta semana marcou a actualidade leonina, é apenas mais um sinal do amadorismo que por esta altura grassa em Alvalade. Como provam os podcasts distribuídos entretanto aos restantes órgãos de comunicação social, Costinha está a ler um papel. Eu percebo-o, claro: os jornalistas deturpam muito o que os homens do futebol dizem – e não é por serem do Jornal do Sporting que estes jornalistas são mais de confiar do que os outros. Mais vale, portanto, deixar tudo bem escritinho. E, então, Costinha lê. E lê mal. E disfarça ainda pior.


Não tenho cada contra, por exemplo, as entrevistas por email. Pessoas com dificuldades de expressão, como é o caso de Costinha, podem muito bem defender-se através desse meio e, mesmo assim, responderem às questões importantes a contento próprio e do leitor. Mas é preciso que os jornalistas o assumam: “Esta entrevista foi feita por email”. Ou ainda: “Mandámos as perguntas antes e o entrevistado respondeu a ler num papelinho.” Fingir já é outra coisa. E, que diabo: num dos podcasts em causa, de resto transmitido pelo Bola Branca da Rádio Renascença (e não só, parece-me), há mesmo um excerto em que até parece que se ouve uma folhinha A4 a virar.


Vive-se em Alvalade, cada vez tenho menos dúvidas disso, uma espécie de transe colectivo – uma euforia mais próxima da folie a deux (ou a plusieurs) do que de qualquer outra coisa. A última é esta proibição do uso de calças de ganga pelos funcionários e colaboradores do clube, supõe-se que jogadores incluídos. Felizmente para os brasileiros e para a sua paixão pelas havaianas, os calções e os chinelos são apenas “desaconselhados”. Calças de ganga é que não. Vão contra os valores do Sporting. E, quando na tribuna, toda a gente deve usar blazer. De novo, os chinelos são desaconselhados, mas não proibidos. Aliás, há uns chinelos da Boss que ficam a matar com um blazer azulão – se for esse o caso, então a coisa passa.


Pois eu proponho que nos inspiremos todos, sportinguistas em geral, na indumentária de Costinha. Vamos a Itália com uma pipa de massa e compramos uns fatos aos quadrados, tipo Teté Ricou – e depois, para dar um toque de verdadeira classe à toilette, calçamos uns sapatos de biqueira bem quadrada e pomos uns óculos de surfista na cabeça. Por favor, sportinguistas: ajudem-nos a recuperar os valores do clube. Ajudem-nos a mudar estas mentalidades. O Sporting está há demasiados anos a descarrilar a nível de mentalidades – e, se querem mesmo a minha opinião, foram as calças de ganga que deram cabo desta gaita toda.


Pobre Paulo Sérgio…


CRÓNICA DE FUTEBOL ("Futebol: Mesmo").


Jornal de Notícias, 1 de Outubro de 2010


(imagem: © www.record.xl.pt)

1 comentário:
De antonio a 4 de Outubro de 2010 às 19:26
O que vale é o Daniel Carriço, penteado nos salões "Lúcia Piloto", já veio desmentir, de forma descabelada, a urdida montada por esses seres incapazes de distinguir a Armani da H&M, que são os jornalistas.
Enfim, já se sabia que, quanto a regras de etiqueta, o Sporting podia e pode fazer a diferença e até, pasma-se, conquistar títulos.....
Um abraço,
A.P.

Comentar post

Joel Neto


Joel Neto nasceu em Angra do Heroísmo, em 1974, e vive entre o coração de Lisboa e a freguesia rural da Terra Chã, na ilha Terceira. Publicou, entre outros, “O Terceiro Servo” (romance, 2000), “O Citroën Que Escrevia Novelas Mexicanas” (contos, 2002) e “Banda Sonora Para Um Regresso a Casa” (crónicas, 2011). Está traduzido em Inglaterra e na Polónia, editado no Brasil e representado em antologias em Espanha, Itália e Brasil, para além de Portugal. Jornalista de origem, trabalhou na imprensa, na televisão e na rádio, como repórter, editor, autor de conteúdos e apresentador. Hoje, dedica-se sobretudo à crónica e ao comentário, que desenvolve a par da escrita de ficção. O seu novo romance, “Os Sítios Sem Resposta”, sai em Abril de 2012, com chancela da Porto Editora. (saber mais)
pesquisar neste blog
 
arquivos
livros de ficção

"Os Sítios Sem Resposta",
ROMANCE,
Porto Editora,
2012
Saber mais


"O Citroën Que Escrevia
Novelas Mexicanas",
CONTOS,
Editorial Presença,
2002
Saber mais
Comprar aqui


"O Terceiro Servo"
ROMANCE,
Editorial Presença,
2002
Saber mais
Comprar aqui
outros livros

Bíblia do Golfe
DIVULGAÇÃO,
Prime Books
2011
Saber mais
Comprar aqui


"Banda Sonora Para
Um Regresso a Casa
CRÓNICAS,
Porto Editora,
2011
Saber mais
Comprar aqui


"Crónica de Ouro
do Futebol Português",
OBRA COLECTIVA,
Círculo de Leitores,
2008
Saber mais
Comprar aqui


"Todos Nascemos Benfiquistas
(Mas Depois Alguns Crescem)",
CRÓNICAS,
Esfera dos Livros,
2007
Saber mais
Comprar aqui


"José Mourinho, O Vencedor",
BIOGRAFIA,
Publicações Dom Quixote,
2004
Saber mais
Comprar aqui


"Al-Jazeera, Meu Amor",
CRÓNICAS,
Editorial Prefácio
2003
Saber mais
Comprar aqui