Sexta-feira, 26 de Março de 2010
publicado por JN em 26/3/10



A escolha de Rita Rato para o cargo de relatora da Comissão de Ética, Sociedade e Cultura, que se reuniu para avaliar o estado da liberdade de expressão em Portugal, é pouco menos do que desconcertante. Quem assistiu às audições realizadas até ao momento só pode ter ficado atónito tanto com o teor como com o tom das perguntas da deputada comunista. Por outro lado, percebeu igualmente, com toda a clareza, que, embora seja a mais inexperiente das pessoas que compõem a comissão, Rita Rato é a mais bonita.


Pois a sua eleição, ainda por cima unânime, é mais uma prova de que, pelo menos a partir de certa altura, esta comissão parlamentar começou a viver em grande parte para a televisão que transmitia as suas sessões em directo. Afinal, e em vez de uma circunspecta comunicação pública dos resultados da actividade de uma igualmente circunspecta comissão, teremos como que uma espécie de apresentação dos nomeados aos Óscares abrilhantada pela rapariga mais gira do momento. E o mais provável é que isso efectivamente faça sentido.


Resta saber se Rita Rato vai mesmo informar-nos sobre se a liberdade de expressão é observada em Portugal ou, pelo contrário, se o modelo económico dos media portugueses, o sistema capitalista em geral e a própria espécie humana não devem ser abolidos por decreto. Entretanto, porém, talvez alguém devesse aconselhá-la a olhar para o exemplo do jornal “i”, de forma a perceber o que são os media, o que é o público, o que são as generosidades e as crueldades que cada um deles tem para com o outro – e, enfim, o esforço que é preciso fazer para assegurar a sobrevivência de projectos e de postos de trabalho no mundo em que vivemos.


CRÓNICA DE TV ("Crónica TV"). Diário de Notícias, 26 de Março de 2010

Joel Neto


Joel Neto nasceu em Angra do Heroísmo, em 1974, e vive entre o coração de Lisboa e a freguesia rural da Terra Chã, na ilha Terceira. Publicou, entre outros, “O Terceiro Servo” (romance, 2000), “O Citroën Que Escrevia Novelas Mexicanas” (contos, 2002) e “Banda Sonora Para Um Regresso a Casa” (crónicas, 2011). Está traduzido em Inglaterra e na Polónia, editado no Brasil e representado em antologias em Espanha, Itália e Brasil, para além de Portugal. Jornalista de origem, trabalhou na imprensa, na televisão e na rádio, como repórter, editor, autor de conteúdos e apresentador. Hoje, dedica-se sobretudo à crónica e ao comentário, que desenvolve a par da escrita de ficção. O seu novo romance, “Os Sítios Sem Resposta”, sai em Abril de 2012, com chancela da Porto Editora. (saber mais)
pesquisar neste blog
 
arquivos
livros de ficção

"Os Sítios Sem Resposta",
ROMANCE,
Porto Editora,
2012
Saber mais


"O Citroën Que Escrevia
Novelas Mexicanas",
CONTOS,
Editorial Presença,
2002
Saber mais
Comprar aqui


"O Terceiro Servo"
ROMANCE,
Editorial Presença,
2002
Saber mais
Comprar aqui
outros livros

Bíblia do Golfe
DIVULGAÇÃO,
Prime Books
2011
Saber mais
Comprar aqui


"Banda Sonora Para
Um Regresso a Casa
CRÓNICAS,
Porto Editora,
2011
Saber mais
Comprar aqui


"Crónica de Ouro
do Futebol Português",
OBRA COLECTIVA,
Círculo de Leitores,
2008
Saber mais
Comprar aqui


"Todos Nascemos Benfiquistas
(Mas Depois Alguns Crescem)",
CRÓNICAS,
Esfera dos Livros,
2007
Saber mais
Comprar aqui


"José Mourinho, O Vencedor",
BIOGRAFIA,
Publicações Dom Quixote,
2004
Saber mais
Comprar aqui


"Al-Jazeera, Meu Amor",
CRÓNICAS,
Editorial Prefácio
2003
Saber mais
Comprar aqui