Segunda-feira, 1 de Fevereiro de 2010
publicado por JN em 1/2/10

Todas as sextas-feiras, com o rádio no máximo, liberto o mesmo suspiro: “Quem dera à televisão portuguesa ter um debate humorístico com metade da qualidade, da graça e da liberdade de espírito deste…” Refiro-me, naturalmente, a Governo Sombra, da TSF, programa de Carlos Vaz Marques que junta Ricardo Araújo Pereira, Pedro Mexia e João Miguel Tavares para, a pretexto dos temas da semana, fazer humor e alargar os horizontes daqueles a que se começa a chamar “os novos géneros” do jornalismo.


E, no entanto, funcionaria em televisão? Provavelmente não. Por um lado, Carlos Vaz Marques, que é brilhante na rádio (e mesmo em jornal), não se saiu especialmente bem na sua experiência na SIC Mulher, resistindo a fazer entrevistas aos gritos (como parece que os espectadores de televisão preferem) e deixando que a câmara o apanhasse demasiadas vezes a olhar para as notas que tinha à frente (como parece que os espectadores de televisão não toleram). Por outro, os três comentadores não estão necessariamente todos talhados para o pequeno ecrã: Araújo Pereira tem muita experiência em TV (e não consta que não goste de trabalhar no meio), mas Tavares não – e Mexia, tendo alguma, claramente não gostou da sua passagem por Eixo do Mal (SIC Notícias).

Mas, sobretudo, é difícil acreditar que aquela frescura pudesse ser reeditada em televisão, apesar da imagem, apesar dos papelinhos que cada um teria à frente, apesar da amplificação que a TV faria das suas palavras e apesar das muitas tentativas de condicionamento de que elas imediatamente seriam alvo. Queira-se ou não, a rádio continua, hoje, um espaço de especial liberdade. Apesar da pouca audiência. Ou precisamente por causa dela.


CRÓNICA DE TV ("Crónica TV"). Diário de Notícias, 1 de Fevereiro de 2010

Joel Neto


Joel Neto nasceu em Angra do Heroísmo, em 1974, e vive entre o coração de Lisboa e a freguesia rural da Terra Chã, na ilha Terceira. Publicou, entre outros, “O Terceiro Servo” (romance, 2000), “O Citroën Que Escrevia Novelas Mexicanas” (contos, 2002) e “Banda Sonora Para Um Regresso a Casa” (crónicas, 2011). Está traduzido em Inglaterra e na Polónia, editado no Brasil e representado em antologias em Espanha, Itália e Brasil, para além de Portugal. Jornalista de origem, trabalhou na imprensa, na televisão e na rádio, como repórter, editor, autor de conteúdos e apresentador. Hoje, dedica-se sobretudo à crónica e ao comentário, que desenvolve a par da escrita de ficção. O seu novo romance, “Os Sítios Sem Resposta”, sai em Abril de 2012, com chancela da Porto Editora. (saber mais)
pesquisar neste blog
 
arquivos
livros de ficção

"Os Sítios Sem Resposta",
ROMANCE,
Porto Editora,
2012
Saber mais


"O Citroën Que Escrevia
Novelas Mexicanas",
CONTOS,
Editorial Presença,
2002
Saber mais
Comprar aqui


"O Terceiro Servo"
ROMANCE,
Editorial Presença,
2002
Saber mais
Comprar aqui
outros livros

Bíblia do Golfe
DIVULGAÇÃO,
Prime Books
2011
Saber mais
Comprar aqui


"Banda Sonora Para
Um Regresso a Casa
CRÓNICAS,
Porto Editora,
2011
Saber mais
Comprar aqui


"Crónica de Ouro
do Futebol Português",
OBRA COLECTIVA,
Círculo de Leitores,
2008
Saber mais
Comprar aqui


"Todos Nascemos Benfiquistas
(Mas Depois Alguns Crescem)",
CRÓNICAS,
Esfera dos Livros,
2007
Saber mais
Comprar aqui


"José Mourinho, O Vencedor",
BIOGRAFIA,
Publicações Dom Quixote,
2004
Saber mais
Comprar aqui


"Al-Jazeera, Meu Amor",
CRÓNICAS,
Editorial Prefácio
2003
Saber mais
Comprar aqui