Quarta-feira, 20 de Janeiro de 2010
publicado por JN em 20/1/10

Que Júlia Pinheiro e Fátima Lopes tratem com paternalismo os seus convidados anónimos, é fácil de perceber. Ricas e famosas, Júlia Pinheiro e Fátima Lopes fundam o seu sucesso ao mesmo tempo no carinho pelos pobres, pelos velhos e pelos coitadinhos e na exibição da sua superioridade em relação a eles. São duas personagens, mais do que duas pessoas – e, se os restantes pobres, velhos e coitadinhos se revêem no modelo de programa que elas fazem, é tanto pelo seu discreto charme burguês como por uma certa aspiração de se lhe equivalerem.


Mais curioso é especular sobre as razões que prendem esses pobres, velhos e coitadinhos ao seus pares que aparecem em As Tardes da Júlia (TVI), Vida Nova (SIC) ou outro programa do género. É a identificação com eles, o que os move? Estou em crer que não. Assiste-se durante alguns dias à nossa day time TV e, quanto a “casos da vida”, encontramos dois tipos de histórias. O primeiro fala de pequenos e grandes sucessos (embora raramente de sucessos monumentais, que este um país é minúsculo). O segundo fala de pequenos e grandes fracassos (embora raramente de fracassos monumentais também). E, lá em casa, as sensações são duas. Quando se trata de sucesso, a ideia é: “Bem esperto, o tipo. E eu também podia fazer aquilo, caramba!” Pelo contrário, quando se trata de fracasso, é: “Coitado. Apesar de tudo, estou bem melhor...”

Feitas as contas, trata-se sempre de feel-good TV – de televisão para fazer-nos sentir melhor na nossa própria pele. E não deixa de ser desconcertante, quanto à essência desta espécie, que tantas vezes esse sentimento dependa de percebermos o quanto outros se sentem mal na deles.


CRÓNICA DE TV ("Crónica TV"). Diário de Notícias, 20 de Janeiro de 2010

Joel Neto


Joel Neto nasceu em Angra do Heroísmo, em 1974, e vive entre o coração de Lisboa e a freguesia rural da Terra Chã, na ilha Terceira. Publicou, entre outros, “O Terceiro Servo” (romance, 2000), “O Citroën Que Escrevia Novelas Mexicanas” (contos, 2002) e “Banda Sonora Para Um Regresso a Casa” (crónicas, 2011). Está traduzido em Inglaterra e na Polónia, editado no Brasil e representado em antologias em Espanha, Itália e Brasil, para além de Portugal. Jornalista de origem, trabalhou na imprensa, na televisão e na rádio, como repórter, editor, autor de conteúdos e apresentador. Hoje, dedica-se sobretudo à crónica e ao comentário, que desenvolve a par da escrita de ficção. O seu novo romance, “Os Sítios Sem Resposta”, sai em Abril de 2012, com chancela da Porto Editora. (saber mais)
pesquisar neste blog
 
arquivos
livros de ficção

"Os Sítios Sem Resposta",
ROMANCE,
Porto Editora,
2012
Saber mais


"O Citroën Que Escrevia
Novelas Mexicanas",
CONTOS,
Editorial Presença,
2002
Saber mais
Comprar aqui


"O Terceiro Servo"
ROMANCE,
Editorial Presença,
2002
Saber mais
Comprar aqui
outros livros

Bíblia do Golfe
DIVULGAÇÃO,
Prime Books
2011
Saber mais
Comprar aqui


"Banda Sonora Para
Um Regresso a Casa
CRÓNICAS,
Porto Editora,
2011
Saber mais
Comprar aqui


"Crónica de Ouro
do Futebol Português",
OBRA COLECTIVA,
Círculo de Leitores,
2008
Saber mais
Comprar aqui


"Todos Nascemos Benfiquistas
(Mas Depois Alguns Crescem)",
CRÓNICAS,
Esfera dos Livros,
2007
Saber mais
Comprar aqui


"José Mourinho, O Vencedor",
BIOGRAFIA,
Publicações Dom Quixote,
2004
Saber mais
Comprar aqui


"Al-Jazeera, Meu Amor",
CRÓNICAS,
Editorial Prefácio
2003
Saber mais
Comprar aqui