Segunda-feira, 18 de Janeiro de 2010
publicado por JN em 18/1/10

A apresentação de Miguel Sousa Tavares como reforço da SIC é uma boa notícia para a estação, para os telespectadores e para a televisão em geral. Tanto na RTP como na própria SIC, onde trabalhou antes de dedicar-se à escrita (e depois ao comentário), Sousa Tavares foi sempre competente, assertivo sem se deixar cegar, comprometido sem se esquecer de que o interesse público está primeiro do que a conquista de audiências. Tanto quanto se pode perceber pelo que foi avançado, ainda não existe um modelo para a sua colaboração. Mas sabe-se que ela será intensa (o que é bom), que poderá passar pelo comentário (o que é melhor ainda) e que poderá mesmo incluir o jornalismo (o que seria excelente).


Mas há uma diferença entre o Miguel Sousa Tavares activo, chamando a si tanto a coordenação como a execução de formatos, e o Miguel Sousa Tavares “de prestígio”, vivendo do empréstimo do seu nome a projectos mais ou menos conseguidos, mas sem pôr a mão na massa. Disso tem Sousa Tavares vivido, em parte, nos últimos tempos. O que é legítimo, diga-se. Quem possui o valor de mercado dele tem inscritas na pré-história palavras como trabalho, rigor e transversalidade. Mas não deixará de ser um desperdício, estando Miguel declaradamente disponível para a acção, vê-lo reduzido ao papel de padrinho, mesmo que de uma estação inteira.

Uma entrevista semanal – eis o que seria especialmente enriquecedor para os telespectadores. Sim, a SIC tem Ana Lourenço. Sim, a SIC tem Mário Crespo. Mas a SIC não tem Judite de Sousa – e Sousa Tavares, sendo também essas coisas, podia, definitivamente, ser esse rosto “de Estado” que falta em Carnaxide.


CRÓNICA DE TV ("Crónica TV"). Diário de Notícias, 18 de Janeiro de 2010

Joel Neto


Joel Neto nasceu em Angra do Heroísmo, em 1974, e vive entre o coração de Lisboa e a freguesia rural da Terra Chã, na ilha Terceira. Publicou, entre outros, “O Terceiro Servo” (romance, 2000), “O Citroën Que Escrevia Novelas Mexicanas” (contos, 2002) e “Banda Sonora Para Um Regresso a Casa” (crónicas, 2011). Está traduzido em Inglaterra e na Polónia, editado no Brasil e representado em antologias em Espanha, Itália e Brasil, para além de Portugal. Jornalista de origem, trabalhou na imprensa, na televisão e na rádio, como repórter, editor, autor de conteúdos e apresentador. Hoje, dedica-se sobretudo à crónica e ao comentário, que desenvolve a par da escrita de ficção. O seu novo romance, “Os Sítios Sem Resposta”, sai em Abril de 2012, com chancela da Porto Editora. (saber mais)
pesquisar neste blog
 
arquivos
livros de ficção

"Os Sítios Sem Resposta",
ROMANCE,
Porto Editora,
2012
Saber mais


"O Citroën Que Escrevia
Novelas Mexicanas",
CONTOS,
Editorial Presença,
2002
Saber mais
Comprar aqui


"O Terceiro Servo"
ROMANCE,
Editorial Presença,
2002
Saber mais
Comprar aqui
outros livros

Bíblia do Golfe
DIVULGAÇÃO,
Prime Books
2011
Saber mais
Comprar aqui


"Banda Sonora Para
Um Regresso a Casa
CRÓNICAS,
Porto Editora,
2011
Saber mais
Comprar aqui


"Crónica de Ouro
do Futebol Português",
OBRA COLECTIVA,
Círculo de Leitores,
2008
Saber mais
Comprar aqui


"Todos Nascemos Benfiquistas
(Mas Depois Alguns Crescem)",
CRÓNICAS,
Esfera dos Livros,
2007
Saber mais
Comprar aqui


"José Mourinho, O Vencedor",
BIOGRAFIA,
Publicações Dom Quixote,
2004
Saber mais
Comprar aqui


"Al-Jazeera, Meu Amor",
CRÓNICAS,
Editorial Prefácio
2003
Saber mais
Comprar aqui