Terça-feira, 1 de Setembro de 2009
publicado por JN em 1/9/09

Uma triste confissão de Carolina Patrocínio sobre as suas exigências na hora de comer fruta tornou-se, nos últimos dias, arma de arremesso contra Sócrates. Para os humoristas que se espalham pelas rádios, pela blogosfera e pelas redes sociais – e sejam eles humoristas profissionais ou apenas de circunstância – a forma tonta como Carolina exige comer as uvas e as cerejas (apenas depois de a empregada lhes extrair as grainhas) não é só um sinal dos caprichos e das manias que podem apoderar-se de uma betinha de Lisboa, mas também um sinal da frivolidade e da ligeireza do PS ao apoderar-se da imagem de uma betinha de Lisboa para angariar votos.

Por um lado, têm razão. Por outro, já não se pode ouvi-los. É que, por cada mandatária da juventude tonta que o PS tiver, o PSD há-de ter outra – e, entretanto, a CDU, o BE e o CDS hão-de ter as suas também. Um mandatário da juventude serve exactamente para isso: para sorrir para as câmaras enquanto os apparatchik das “jotas” colocam aquelas que entretanto convencionámos serem as “questões da juventude”, que são os casamentos gay, a despenalização do consumo de drogas e a liberalização do aborto. Basicamente, está tudo errado – e se uma tonta da TV se deixa apanhar nessa malha, pois é apenas mais uma cúmplice vitimada por fogo amigo.

Hoje é dia 1 de Setembro, arranque oficial da rentrée. O ideal é arranjarmos outro tema, que Carolina Patrocínio não tem fôlego para sobreviver à silly season.


CRÓNICA DE TV ("Crónica TV"). Diário de Notícias, 1 de Setembro de 2009

2 comentários:
De ana celeste mendes a 2 de Setembro de 2009 às 12:19

Nem fôlego, nem coisa alguma: é um não assunto. O tema, claro está, não será as grainhas ou os caroços de cerejas, mas sim o modo como as instituições que deveriam ser condignas e sérias, enaltecem gente sem eira nem beira, apenas porque um sorriso, umas pernas, um umbigo, um cérebro permanentemente de férias. Não que tudo isso ( à excepção da condição de um cérebro que não impede o seu portador de se expor ao ridículo sem qualquer censura prévia)não possa ser importante. Mas, a sê-lo, pois será para outras gentes e noutras paragens. A mim pouco me interessa se a Patrocínio come uvas com grainhas, se engole os caroços das cerejas ou se é doida por frangos assados. Interessa-me sim, que uma actividade de origens nobres como é a política, se encontre neste estado. Carolina Patrocínio é ridícula, mas o PS, ou melhor, o palco político em que o teatro se desenrola, tornou-se mais digno de sentimentos de pesar do que de crédito, o que, enfim, não diz muito bem nem deste tempo nem destas pessoas. A política, que foi uma actividade tão nobre em tempos antigos, tornou-se numa miserável palhaçada. a mim parece-me a única coisa a reter do assunto. O que também já não é novidade.
De cat bloom a 14 de Setembro de 2009 às 12:02
a carolina patrocínio e o pedro granger estão bem um para o outro. vivam as jotas e tudo de giro que lá se faz, incluindo as "mickey" que lá se tomam. yei.

Comentar post

Joel Neto


Joel Neto nasceu em Angra do Heroísmo, em 1974, e vive entre o coração de Lisboa e a freguesia rural da Terra Chã, na ilha Terceira. Publicou, entre outros, “O Terceiro Servo” (romance, 2000), “O Citroën Que Escrevia Novelas Mexicanas” (contos, 2002) e “Banda Sonora Para Um Regresso a Casa” (crónicas, 2011). Está traduzido em Inglaterra e na Polónia, editado no Brasil e representado em antologias em Espanha, Itália e Brasil, para além de Portugal. Jornalista de origem, trabalhou na imprensa, na televisão e na rádio, como repórter, editor, autor de conteúdos e apresentador. Hoje, dedica-se sobretudo à crónica e ao comentário, que desenvolve a par da escrita de ficção. O seu novo romance, “Os Sítios Sem Resposta”, sai em Abril de 2012, com chancela da Porto Editora. (saber mais)
pesquisar neste blog
 
arquivos
livros de ficção

"Os Sítios Sem Resposta",
ROMANCE,
Porto Editora,
2012
Saber mais


"O Citroën Que Escrevia
Novelas Mexicanas",
CONTOS,
Editorial Presença,
2002
Saber mais
Comprar aqui


"O Terceiro Servo"
ROMANCE,
Editorial Presença,
2002
Saber mais
Comprar aqui
outros livros

Bíblia do Golfe
DIVULGAÇÃO,
Prime Books
2011
Saber mais
Comprar aqui


"Banda Sonora Para
Um Regresso a Casa
CRÓNICAS,
Porto Editora,
2011
Saber mais
Comprar aqui


"Crónica de Ouro
do Futebol Português",
OBRA COLECTIVA,
Círculo de Leitores,
2008
Saber mais
Comprar aqui


"Todos Nascemos Benfiquistas
(Mas Depois Alguns Crescem)",
CRÓNICAS,
Esfera dos Livros,
2007
Saber mais
Comprar aqui


"José Mourinho, O Vencedor",
BIOGRAFIA,
Publicações Dom Quixote,
2004
Saber mais
Comprar aqui


"Al-Jazeera, Meu Amor",
CRÓNICAS,
Editorial Prefácio
2003
Saber mais
Comprar aqui