Quarta-feira, 26 de Agosto de 2009
publicado por JN em 26/8/09

Há muitos anos que Nicolau Breyner é o nosso melhor actor de audiovisual. Outros actores conseguem boas performances, é verdade, mas no caso de Nicolau trata-se da regra, não da excepção. Nem homem nem mulher – ninguém é tão regularmente bom, tão regularmente melhor do que os outros.


Nicolau Breyner tem uma perfeita noção do timing da televisão, tal como do timing do cinema. E, sobretudo, sabe conter-se, o que é provavelmente a melhor prova da sua aptidão para o ecrã. Onde outros declamam, Nicolau conversa. Onde outros gritam, Nicolau fala baixinho. Onde os outros reeditam os exercícios de dicção da escola de representação, preocupados em fazer chegar escorreitas as palavras aos espectadores, Nicolau concentra-se nas emoções. Vê muita televisão e vê muito cinema, de certeza – e, claro, confia que a técnica fará, como sempre, o seu papel.

Mas também observa as pessoas no seu dia a dia. Ainda esta semana, numa entrevista ao Correio da Manhã (a mesma em que defendia a indefensável continuidade de Manuela Moura Guedes no Jornal das Sextas, da TVI), Nicolau o explicava: assim que lhe é entregue uma nova personagem, o seu primeiro impulso é procurar um modelo “real” sobre que trabalhar. Não sei se é o que propõe “o método” de Strasberg. Mas sei que, onde outros lêem Stanislavski, Nicolau olha para o comportamento do vizinho. É um actor – e que não seja um intelectual é coisa que só funciona em nosso benefício (e, aliás, no dele também).


CRÍTICA DE TV ("Crónica TV"). Diário de Notícias, 26 de Agosto de 2009

Joel Neto


Joel Neto nasceu em Angra do Heroísmo, em 1974, e vive entre o coração de Lisboa e a freguesia rural da Terra Chã, na ilha Terceira. Publicou, entre outros, “O Terceiro Servo” (romance, 2000), “O Citroën Que Escrevia Novelas Mexicanas” (contos, 2002) e “Banda Sonora Para Um Regresso a Casa” (crónicas, 2011). Está traduzido em Inglaterra e na Polónia, editado no Brasil e representado em antologias em Espanha, Itália e Brasil, para além de Portugal. Jornalista de origem, trabalhou na imprensa, na televisão e na rádio, como repórter, editor, autor de conteúdos e apresentador. Hoje, dedica-se sobretudo à crónica e ao comentário, que desenvolve a par da escrita de ficção. O seu novo romance, “Os Sítios Sem Resposta”, sai em Abril de 2012, com chancela da Porto Editora. (saber mais)
pesquisar neste blog
 
arquivos
livros de ficção

"Os Sítios Sem Resposta",
ROMANCE,
Porto Editora,
2012
Saber mais


"O Citroën Que Escrevia
Novelas Mexicanas",
CONTOS,
Editorial Presença,
2002
Saber mais
Comprar aqui


"O Terceiro Servo"
ROMANCE,
Editorial Presença,
2002
Saber mais
Comprar aqui
outros livros

Bíblia do Golfe
DIVULGAÇÃO,
Prime Books
2011
Saber mais
Comprar aqui


"Banda Sonora Para
Um Regresso a Casa
CRÓNICAS,
Porto Editora,
2011
Saber mais
Comprar aqui


"Crónica de Ouro
do Futebol Português",
OBRA COLECTIVA,
Círculo de Leitores,
2008
Saber mais
Comprar aqui


"Todos Nascemos Benfiquistas
(Mas Depois Alguns Crescem)",
CRÓNICAS,
Esfera dos Livros,
2007
Saber mais
Comprar aqui


"José Mourinho, O Vencedor",
BIOGRAFIA,
Publicações Dom Quixote,
2004
Saber mais
Comprar aqui


"Al-Jazeera, Meu Amor",
CRÓNICAS,
Editorial Prefácio
2003
Saber mais
Comprar aqui