Quarta-feira, 3 de Fevereiro de 2010
publicado por JN em 3/2/10

Conhecidos os candidatos aos prémios da Academy of Motion Picture Arts and Sciences, vulgo Óscares, chegou a altura de planear a transmissão da cerimónia, marcada para 7 de Março. E o mínimo que se pode pedir à TVI, que volta a deter os respectivos direitos para Portugal, é que faça melhor e muito diferente daquilo que tem feito nos últimos anos, ao longo dos quais deixou que os directos da mais espectacular festa da cultura pop internacional parecessem pouco mais glamourosos do que os diferidos da Grande Noite do Fado.


A cerimónia, já se sabe, vai mudar. Os apresentadores são novos, o número de nomeados é diferente – e, como o próprio formato das apresentações e entregas já vinha sendo progressivamente compactado, tudo indica que a Academia nos proporcionará este ano a gala mais fulgurante de sempre. Ora, manter Vítor Moura e José Vieira Mendes encafuados num estúdio minúsculo, cheios de sono e a dizer baboseiras sobre o som original, como vem acontecendo de há uma série de anos a esta parte, será simplesmente destruir um património.

Vivem-se tempos novos na TVI, que tem uma direcção nova, que dispõe agora de um canal noticioso e que se prepara para comemorar o seu 17º aniversário. Vivem-se tempos novos na televisão portuguesa também, com a nova prerrogativa (já posta em prática pela SportTV Golfe) de transmitir um programa em várias línguas ao mesmo tempo, permitindo ao espectador seleccionar uma delas através do comando da sua box. E muito bem faria Queluz se aproveitasse a gala, a sua antevisão e o seu rescaldo para dar um sinal de vida quanto às suas próprias possibilidades de glamour e sofisticação.


CRÓNICA DE TV ("Crónica TV"). Diário de Notícias, 3 de Fevereiro de 2010

Joel Neto


Joel Neto nasceu em Angra do Heroísmo, em 1974, e vive entre o coração de Lisboa e a freguesia rural da Terra Chã, na ilha Terceira. Publicou, entre outros, “O Terceiro Servo” (romance, 2000), “O Citroën Que Escrevia Novelas Mexicanas” (contos, 2002) e “Banda Sonora Para Um Regresso a Casa” (crónicas, 2011). Está traduzido em Inglaterra e na Polónia, editado no Brasil e representado em antologias em Espanha, Itália e Brasil, para além de Portugal. Jornalista de origem, trabalhou na imprensa, na televisão e na rádio, como repórter, editor, autor de conteúdos e apresentador. Hoje, dedica-se sobretudo à crónica e ao comentário, que desenvolve a par da escrita de ficção. O seu novo romance, “Os Sítios Sem Resposta”, sai em Abril de 2012, com chancela da Porto Editora. (saber mais)
pesquisar neste blog
 
arquivos
livros de ficção

"Os Sítios Sem Resposta",
ROMANCE,
Porto Editora,
2012
Saber mais


"O Citroën Que Escrevia
Novelas Mexicanas",
CONTOS,
Editorial Presença,
2002
Saber mais
Comprar aqui


"O Terceiro Servo"
ROMANCE,
Editorial Presença,
2002
Saber mais
Comprar aqui
outros livros

Bíblia do Golfe
DIVULGAÇÃO,
Prime Books
2011
Saber mais
Comprar aqui


"Banda Sonora Para
Um Regresso a Casa
CRÓNICAS,
Porto Editora,
2011
Saber mais
Comprar aqui


"Crónica de Ouro
do Futebol Português",
OBRA COLECTIVA,
Círculo de Leitores,
2008
Saber mais
Comprar aqui


"Todos Nascemos Benfiquistas
(Mas Depois Alguns Crescem)",
CRÓNICAS,
Esfera dos Livros,
2007
Saber mais
Comprar aqui


"José Mourinho, O Vencedor",
BIOGRAFIA,
Publicações Dom Quixote,
2004
Saber mais
Comprar aqui


"Al-Jazeera, Meu Amor",
CRÓNICAS,
Editorial Prefácio
2003
Saber mais
Comprar aqui