Quinta-feira, 6 de Agosto de 2009
publicado por JN em 6/8/09

A saída de José Eduardo Moniz da TVI não é a notícia mais importante do ano para a televisão portuguesa: é a notícia mais importante da década. E o problema é que, independentemente de tudo o que Moniz tenha feito de mal nestes onze anos (incluindo transformar uma estação brejeira em líder nacional, e portanto Portugal num país onde uma estação brejeira lidera), não é uma boa notícia.

Entre outras façanhas, Moniz importou os reality shows, impôs as telenovelas de má qualidade e permitiu o jornalismo justiceiro. Talvez se possa efectivamente dizer que, em alguns aspectos, a TV portuguesa piorou com a sua chegada. Mas o mais provável é que, em breve, se possa dizer também que a TV portuguesa piorou ainda mais com a sua partida (se é que de uma partida se trata).

Pior do que José Eduardo Moniz foram sempre os seus sucedâneos: os vários directores de programas e/ou informação que passaram pela RTP e pela SIC e, para combater a liderança da TVI, decidiram jogar no próprio tabuleiro de Moniz, imitando-o nas maiores e mais pequenas opções. Regra geral, julgavam sempre que não sujavam as mãos como ele, mas sujavam-nas ainda mais – e, ainda por cima, não só não lideravam como, normalmente, faziam um canal pior.

Entretanto, tudo isto recai agora sobre o próximo director geral da TVI, trate-se de quem se tratar. Conseguirá ele resistir ao estigma, rasgar em novas direcções e manter a liderança? Pois terá de ser alguém muito especial.


CRÍTICA DE TV ("Crónica TV"). Diário de Notícias, 6 de Agosto de 2009

Joel Neto


Joel Neto nasceu em Angra do Heroísmo, em 1974, e vive entre o coração de Lisboa e a freguesia rural da Terra Chã, na ilha Terceira. Publicou, entre outros, “O Terceiro Servo” (romance, 2000), “O Citroën Que Escrevia Novelas Mexicanas” (contos, 2002) e “Banda Sonora Para Um Regresso a Casa” (crónicas, 2011). Está traduzido em Inglaterra e na Polónia, editado no Brasil e representado em antologias em Espanha, Itália e Brasil, para além de Portugal. Jornalista de origem, trabalhou na imprensa, na televisão e na rádio, como repórter, editor, autor de conteúdos e apresentador. Hoje, dedica-se sobretudo à crónica e ao comentário, que desenvolve a par da escrita de ficção. O seu novo romance, “Os Sítios Sem Resposta”, sai em Abril de 2012, com chancela da Porto Editora. (saber mais)
pesquisar neste blog
 
arquivos
livros de ficção

"Os Sítios Sem Resposta",
ROMANCE,
Porto Editora,
2012
Saber mais


"O Citroën Que Escrevia
Novelas Mexicanas",
CONTOS,
Editorial Presença,
2002
Saber mais
Comprar aqui


"O Terceiro Servo"
ROMANCE,
Editorial Presença,
2002
Saber mais
Comprar aqui
outros livros

Bíblia do Golfe
DIVULGAÇÃO,
Prime Books
2011
Saber mais
Comprar aqui


"Banda Sonora Para
Um Regresso a Casa
CRÓNICAS,
Porto Editora,
2011
Saber mais
Comprar aqui


"Crónica de Ouro
do Futebol Português",
OBRA COLECTIVA,
Círculo de Leitores,
2008
Saber mais
Comprar aqui


"Todos Nascemos Benfiquistas
(Mas Depois Alguns Crescem)",
CRÓNICAS,
Esfera dos Livros,
2007
Saber mais
Comprar aqui


"José Mourinho, O Vencedor",
BIOGRAFIA,
Publicações Dom Quixote,
2004
Saber mais
Comprar aqui


"Al-Jazeera, Meu Amor",
CRÓNICAS,
Editorial Prefácio
2003
Saber mais
Comprar aqui